Exército Brasileiro encomenda mísseis da Saab

Sistema portátil RBS 70 é projetado para abater aeronaves voando a baixas altitudes
O míssil disparado pelo sistema RBS 70 pode abater aeronaves voando a até 5.000 metros de altitude (Divulgação)
O míssil disparado pelo sistema RBS 70 pode abater aeronaves voando a até 5.000 metros de altitude (Divulgação)
O míssil disparado pelo sistema RBS 70 pode abater aeronaves voando a até 5.000 metros de altitude (Divulgação)
O míssil disparado pelo sistema RBS 70 pode abater aeronaves voando a 5.000 metros de altitude (Divulgação)

A Saab anunciou nesta segunda-feira (6) a assinatura de um novo contrato com o Exército Brasileiro (EB) para o fornecimento do sistema RBS 70, um lançador portátil de mísseis telecomandados de defesa aérea. Segundo a empresa com base na Suécia, o valor total do pedido é de aproximadamente 105 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 36 milhões), e as entregas ocorrerão entre 2017 e 2018.

O sistema RBS 70 é utilizado pelo EB desde 2015 e fez parte da segurança dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. O contrato assinado entre a Saab e o Exército inclui postos de tiro com mira a laser, dispositivos de visão noturna, simuladores de treinamento, camuflagem multiespectral e equipamentos de testes e manutenção – a fabricante não divulga quantos lançadores e mísseis foram vendidos ao Exército.

“Com essa encomenda, o Exército Brasileiro dá andamento ao processo de aprimoramento de sua capacidade de defesa antiaérea. O sistema desempenhou um papel muito importante na proteção dos Jogos Olímpicos de 2016, proporcionando não apenas segurança aos jogos, mas também à infraestrutura estratégica. Sabemos que os recursos e a confiabilidade do sistema são altamente apreciados pelo cliente”, disse Stefan Öberg, chefe da unidade de negócios Sistemas de Mísseis da área Dynamics da Saab.

De acordo com o fabricante, o míssil com orientação a laser tem alcance de 8 km e pode atingir mach 2 de velocidade máxima, o equivalente a 2.469 km/h ou duas vezes a velocidade do som. O artefato pode abater aeronaves a 5.000 metros de altitude.

O sistema RBS 70, fabricado desde 1977, é utilizado por 19 países, que adquiriram cerca de 1.600 postos de tiro com mais de 18 mil mísseis.

O equipamento completo pesa cerca de 90 kg (Divulgação)
O equipamento, composto pelo lançador, sistema de mira a laser e o míssil, pesa cerca de 90 kg (Divulgação)

O equipamento já foi utilizado em combate pelo exército da Venezuela, durante a tentativa de golpe de estado em 1992. Na ocasião, um bimotor OV-10 Bronco da força aérea venezuelana operado por militares rebeldes foi abatido com sucesso.

Veja mais: Produção do Gripen NG é iniciada no Brasil

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Anderson
Anderson
5 anos atrás

O Brasil não possui nenhuma bateria anti-aérea eficiente. Temos apenas os F5 pra fazer milagre. Não consigo entender uma coisa: Se temos praticamente o mesmo orçamento da Índia, Porque não dispomos da mesma tecnologia? Precisamos de um esclarecimento!

MARCIO LIRA
MARCIO LIRA
5 anos atrás

Um país que não investe em educação e na produção científica/pesquisa…

Previous Post
A aviação comercial brasileira perdeu 7 milhões de passageiros em 2016 (Thiago Vinholes)

Brasil cai de 5º para 9º maior mercado aéreo mundial

Next Post

Boeing revela primeira imagem do maior 737 já proposto

Related Posts
Total
0
Share