FAB segue tentando vender caças Mirage 2000 desativados

Em novo esforço, FAB tenta vender 11 das 12 aeronaves de combate desativadas em 2013
O Mirage 2000 voaram com a FAB entre 2005 e 2013 (FAB)
O Mirage 2000 voaram com a FAB entre 2005 e 2013 (FAB)
O Mirage 2000 voaram com a FAB entre 2005 e 2013 (FAB)
Os Mirage 2000 foram operados pela FAB entre 2005 e 2013 (FAB)

A Força Aérea Brasileira (FAB), por meio da Comissão Aeronáutica Brasileira em Washington (CABW), lançou neste mês um novo anúncio para tentar vender 11 dos 12 caças Dassault Mirage 2000 desativados em dezembro de 2013. Esse é o segundo esforço da Aeronáutica nesse sentido, que tenta se desfazer de parte das aeronaves desde 2016.

No primeiro anúncio, publicado em abril de 2016 pela Comissão Brasileira de Aeronáutica na Europa (BACE), a FAB pretendia vender apenas oito aeronaves, mas nenhum lance foi realizado. Na época, o porta-voz da força aérea declarou ao Airway que quatro caças seriam preservados, número agora reduzido para apenas um exemplar.

Dos aviões anunciados, oito estão estacionados na Ala 1, em Brasília (DF), e três na Ala 2, em Anápolis (GO). A oferta inclui nove Mirage 2000C, com apenas um assento, e dois Mirage 2000B, de assento duplo. De acordo com a FAB, as aeronaves não estão em condições de voo.

Segundo o edital do CABW, qualquer pessoa física ou jurídica, desde que cumpra todos os requisitos presentes no regulamento, pode efetuar lances pelas aeronaves. Ou seja, qualquer pessoa pode ser dono de um Mirage 2000. A venda das aeronaves também depende da aprovação do governo da França. Interessados devem enviar suas propostas até 6 de novembro.

O lote de 11 aeronaves é avaliado em US$ 508,6 mil, sendo a mais barata (modelo FAB 4944) disponível por US$ 7.327,61 e a mais cara (FAB 4933) por US$ 62.635,12.

O Mirage 2000 é até hoje o avião mais potente que já voou com a FAB, entre 2005 e 2013. Os caças franceses usados no Brasil podiam voar a mais de 2.500 km/h, mais de duas vezes a velocidade do som.

Veja mais: Hercules da FAB serão revisados em Portugal pela OGMA

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
6 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Almirante
Almirante
3 anos atrás

Pq nao doam essas aeronaves pra marinha ?

Eduardo Oliveira
Eduardo Oliveira
3 anos atrás

É isso mesmo o preço: Us$ 62.635,15?
Em torno de R$ 240.000,00?

Está mais barato que alguns carros importados. Muito mais barato que qualquer avião experimental para acrobacias aéreas.

Por estes preços, a FAV poderia doar estes exemplares por museus aéreo pelo Brasil.

Márcio Lira
Márcio Lira
3 anos atrás

Almirante, o que a Marinha faria com Mirage 2000 em seu acervo?

Luiz
Luiz
3 anos atrás

Esse míssil ADarter é o mesmo nome que foi usado na guerra das Malvinas. Será que estamos atrasados?

Moacyr
Moacyr
3 anos atrás

Sucata quando foram adquiridos. Lixo que ninguém quer.

Pafuncio
Pafuncio
3 anos atrás

Ninguém vai comprar isto. Já foi posto a venda em oportunidades anteriores e não vendeu. Vi alguns sendo lavados na Base Aérea de Brasilia. No meu ponto de vista deveriam ser passado para MB a fim de serem operados da Base Aeronaval de São Pedro da Aldeia. Usa o recurso que foi decentralizado para modernização dos A4,

Previous Post
A FAB voa com os Hercules desde 1964 (FAB)

Hercules da FAB serão revisados em Portugal pela OGMA

Next Post
A Delta será o quarto operador do Airbus A220; primeiras aeronaves serão entregues em 2019 (Airbus)

Primeiro Airbus A220 da Delta realiza voo inaugural

Related Posts