“Goleada” pela Airbus, Boeing encerrou 2020 com 157 jatos entregues

Fabricante divulgou os resultados do quarto trimestre do ano passado, um dos piores na história da Boeing e muito abaixo do desempenho da concorrente Airbus
A Boeing planeja testar a tecnologia dos controles autônomos no jato 787 a partir de 2019 (Divulgação)
A Boeing planeja testar a tecnologia dos controles autônomos no jato 787 a partir de 2019 (Divulgação)

A Boeing Company anunciou nesta terça-feira (12) os resultados de entregas de aeronaves comerciais e de defesa no quarto trimestre do ano passado, além do saldo consolidado de 2020.

Como era esperado, devido a demora no retorno do 737 MAX e a pandemia do novo coronavírus, a fabricante americana registrou mais um resultado lamentável na área de aviação comercial em 2020, com apenas 157 aeronaves entregues.

Comparado a 2019, outro ano ruim da Boeing (com 380 jatos comerciais entregues) em função do aterramento do MAX, a queda foi 53% – e de 81% em relação a 2018 (quando entregou 806 aviões).

Fazia tempo que a Boeing não encerrava um ano com menos de 200 aviões comerciais entregues aos clientes. A última vez que isso aconteceu foi em 1984, quando entregou 146 aeronaves.

O resultado da gigante americana em 2020 só não foi pior devido a liberação do 737 MAX em dezembro. Até os últimos dias do ano passado, a empresa conseguiu entregar 31 aeronaves do tipo. Esses jatos estavam concluídos e estacionadas em instalações da Boeing nos EUA há meses à espera da recertificação após dois acidentes fatais, em 2018 e 2019.

Os demais aviões entregues pela Boeing no quarto trimestre de 2020 foram três jatos 747, 10 767, 11 777 e quatro 787. Sendo assim, o saldo total de entregas de aviões comerciais ficou em: 43 737 (esse número inclui os últimos 737 NG), cinco 747, 30 767, 26 777 e 53 787 Dreamliner.

Boeing 737 MAX 8 - Gol Linhas Aéreas
A Gol foi a primeira companhia do mundo a reativar o 737 MAX, que estava aterrado desde março de 2019 (GOL)

“A retomada das entregas do 737 MAX em dezembro foi um marco importante à medida que fortalecemos a segurança e a qualidade em nossa empresa. Estamos trabalhando em estreita colaboração com nossos clientes globais e monitorando a lenta recuperação do tráfego internacional para alinhar a oferta com a demanda do mercado em nossos programas widebody. Em 2021, continuaremos tomando as ações certas para aprimorar nossa cultura de segurança, preservar a liquidez e transformar nossa negócios para o futuro”, disse Greg Smith, vice-presidente executivo de Operações Corporativas e diretor financeiro da Boeing.

Os números divulgados pela Boeing incluem ainda as entregas de aeronaves militares, setor onde a fabricante se manteve estável. Foram entregues 19 helicópteros de ataque AH-64 Apache, 27 helicópteros de transporte CH-47 Chinook, quatro caças F-15 Eagle, 20 caças F/A-18 Super Hornet, 14 aviões-tanque KC-46 Pegasus e 15 jatos de patrulha marítima P-8 Poseindon.

Goleada da Airbus

Comparando o resultado de entregas da Boeing com o da Airbus em 2020, os europeus bateram os americanos com uma “goleada”.

A despeito da crise gerada pela pandemia, a Airbus encerrou o ano passado com um saldo de 566 aeronaves comerciais entregues, número que o grupo europeu considerou uma prova de sua “resiliência” num momento tão conturbado no mercado global.

O A320neo pode alcançar a velocidade máxima de 870 km/h (Airbus)
O Airbus A320neo foi o avião comercial com mais entregas em 2020: 431 unidades (Airbus)

Na medida do possível, foi um bom desempenho para a fabricante do Velho Continente, embora tenha ficado 34% abaixo do resultado de 2019, o melhor ano na história da Airbus, com 861 aeronaves enviadas aos clientes.

Veja mais: Embraer acelerou entrega de aviões comerciais no final de 2020

 

Total
31
Shares
Previous Post
O KC-390 é projetado para transportar até 26 toneladas de carga, capacidade superior a do Hercules (FAB)

KC-390 da FAB decola rumo aos EUA para treinamento inédito

Next Post

Congo Airways encomenda dois jatos Embraer E195-E2

Related Posts