De ponta a ponta das asas, o A380 tem 80 metros, mais que um prédio de 20 andares

A380: rumo ao fim

A Airbus concluiu a montagem da fuselagem do último A380, seu maior avião de passageiros. A aeronave número de série 272, que receberá a pintura da Emirates Airline, deixou a estação 40, um hangar usado para montar os grandes componentes do jato, e seguiu para outra unidade, a 35, na manhã desta quarta-feira, 23. A informação foi revelada pela página Aviation Toulouse, que acompanha o movimento de aeronaves na maior fábrica da Airbus na França.

O fato ocorre apenas 15 anos após o primeiro voo do A380, o maior avião de passageiros já construído. Até agosto, restavam entregar nove unidades, oito delas para a Emirates e apenas uma para a All Nippon Airways e que já está pronta há meses.

A crise na aviação comercial, entretanto, pode fazer com que a conclusão dessas entregas demore mais do que o previsto. A companhia aérea dos Emirados Árabes, por exemplo, estaria tentando cancelar o pedido remanescente de aviões.

A conclusão do avião de número 272 encerra também os trabalhos realizados na unidade 40 por enquanto. A Airbus chegou a anunciar que uma nova linha de montagem do A321neo seria implantada em Toulouse mas postergou os planos após a pandemia do coronavírus.

Desnecessário

Introduzido em outubro de 2007, o A380 se transformou de estrela dos aeroportos no mundo para um enorme “elefante branco” para vários de seus operadores. A aeronave da Airbus já estava há alguns anos sem atrair pedidos mesmo com a fabricante anunciando uma versão aprimorada, o A380neo. Pouco tempo depois, o fim da produção foi confirmado.

No entanto, o advento do vírus e a queda na demanda nos voos de longo alcance atingiu duramente as companhias aéreas que usam o jato. A Air France, por exemplo, retirou todos os seus aviões de serviço e outras empresas estão armazenando boa parte de suas frotas senão todas unidades até que o mercado se recupere.

O terceiro A380 da ANA é um dos nove aviões ainda não entregues (Airbus)

Veja também: Nova geração do A380 seria absolutamente brilhante, diz CEO da Airbus