Irkut MC-21

“Airbus russo”: assim como o A320, o MC-21 também possui comandos computadorizados (Dmitry Terekhov)

Os primeiros jatos Irkut MC-21 fabricados na Rússia serão entregues até o final de 2021, de acordo com o ministro russo do comércio e da indústria, Denis Manturov.

Segundo Manturov, a combinação de sanções comerciais contra a Rússia e os impactos da pandemia da COVID-19 no país forçaram o adiamento dos testes de voo e certificação da aeronave. O ministro não divulgou uma data em que o jato deve chegar ao mercado no próximo ano.

“Perdemos vários meses”, disse Manturov à agência russa Izvestia. “Mas agora esperamos que a entrega das aeronaves aos primeiros clientes ocorra até o final de 2021”, acrescentou.

Antes do surto do novo coronavírus chegar a Rússia, a Irkut (que faz parte do grupo estatal United Aircraft Corporation – UAC) planejava certificar o jato até o final deste ano e iniciar as entregas nos primeiros meses de 2021.

“Estamos seguindo um cronograma que foi ajustado como resultado da pandemia”, disse o ministro.

Operador de lançamento do MC-21, a companhia aérea russa Aeroflot tem um pedido firme por 50 aeronaves e opções de compra para outros 35 exemplares.

Manturov diz que o grupo UAC optou deliberadamente por entregar os primeiros MC-21 às transportadoras russas. O intuito é estabelecer na Rússia centrais de manutenção e serviço para o novo jato e “evitar a repetição” dos erros cometidos com o Sukhoi SSJ100.

Na visão do ministro, o Superjet foi seriamente afetado pela quantidade insuficiente de peças sobressalentes nos centros de serviço, o que reduziu as taxas de disponibilidade do jato regional russo. Com o MC-21 isso será diferente e, segundo Manturov, um estoque de itens de reposição para o novo modelo já está sendo produzido.

A indústria aeroespacial da Rússia está substituindo componentes importados por outros produzidos localmente. O Superjet, por exemplo, terá uma nova versão, o “SSJ New”, construído com uma maior quantidade de peças russas, incluindo os motores. O modelo reformulado deve chegar ao mercado em 2023.

“Airbus russo”

O primeiro MC-21 foi apresentado na fábrica da Irkut em Irkutsk, na região da Sibéria, em 8 de junho de 2016 e o voo inaugural aconteceu em 28 de maio de 2017, após um atraso considerável no desenvolvimento da aeronave. O plano original dos russos, que iniciaram o projeto em 2006, era ter o avião concluído e certificado em 2012.

Irkut MC-21

Rollout do MC-21 em 2016: jato russo está entre os mais avançados da categoria narrowbody (UAC)

Todos os MC-21 em testes até o momento são impulsionados por motores Pratt & Whitney PW1400G. A fabricante também está perto de finalizar o primeiro modelo equipado com o turbofan Aviadvigatel PD-14, produzido na Rússia.

O MC-21 é projetado transportar de 163 a 211 passageiros em voos de até 6.000 km. A fabricante tem hoje 174 pedidos firmes de compra pelo novo jato, de empresas da Rússia, Azerbaijão e Egito.

De acordo com a fabricante, o novo jato apresenta custos operacionais até 15% inferiores comparados aos de modelos tradicionais do segmento, fator que pode atrair companhias aéreas de outros países. Além disso, o MC-21 é mais barato que seus concorrentes, com preço estimado em US$ 91 milhões, enquanto um Airbus A320neo passa dos US$ 110 milhões.

Cabine de passageiros do MC-21

A versão MC-21-300 é capaz de transportar até 211 passageiros em classe única (UAC)

Em termos técnicos, o MC-21 é mais parecido com o A320 do que com o Boeing 737. Assim como o jato da Airbus, o modelo da Irkut é equipado com comandos de voo computadorizados (fly-by-wire), enquanto o avião da Boeing ainda utiliza controles mecânicos.

O MC-21-300 é o primeiro modelo de uma família de jatos comerciais que pode ter ainda outras duas opções, com tamanhos e desempenhos diferentes. O segundo modelo será o MC-21-200, projetado para embarcar de 132 a 165 passageiros e com autonomia de 6.400 km. Já a terceira variante é o MC-21-400, para até 230 ocupantes e alcance de 5.000 km.

Veja mais: Quarto protótipo do Boeing 777X já está voando