Orçamento da União destina R$ 2,3 bilhões para projetos da Aeronáutica em 2021

Projeto de Lei Orçamentário Anual 2021 inclui recursos para a aquisição dos caças Gripen, mais cargueiros KC-390, modernização do A-1 e helicópteros
União reservou R$ 1,55 bilhão para aquisição de cinco caças Gripen em 2021 (FAB)

O Congresso Nacional aprovou ontem a noite (25) o projeto de lei do Orçamento da União Anual para 2021, que inclui R$ 8,32 bilhões em investimentos no Ministério da Defesa. Desse montante, R$ 2,33 bilhões serão destinados a projetos da Aeronáutica. O texto ainda deve ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro.

O projeto da Aeronáutica que receberá mais recursos neste ano é o FX-2, sobre o desenvolvimento e compra dos jatos de combate F-39E/F Gripen, com um aporte de R$ 1,55 bilhão. Esse montante será destinado a aquisição de cinco caças e sistemas relacionados a aeronave.

Outros R$ 400 milhões vão para continuação do desenvolvimento do Programa KC-X. A Aeronáutica também receberá da União mais R$ 226,9 milhões para a aquisição de duas aeronaves Embraer C-390 Millennium para a Força Aérea Brasileira (FAB).

A lista de investimentos na Defesa também inclui R$ 110 milhões para a continuação do programa de revitalização e modernização dos caças-bombardeiros A-1M (Embraer AMX) da FAB, com a previsão de entrega de uma aeronave atualizada neste ano.

A FAB deve receber mais duas aeronaves KC-390 em 2021 (FAB)

Investimentos na Defesa

Também estão incluídos no orçamento mais de R$ 250 milhões para compra de helicópteros para as três forças armadas brasileiras. O documento com a previsão de gastos da União cita a aquisição de dois modelos médios (as versões militares do Airbus H255 fabricados pela Helibras) e a introdução de um novo projeto, o programa TH-X de helicópteros leves para as três frentes militares.

A lista de compras do Ministério da Defesa em 2021 ainda inclui sistemas de artilharia antiaérea e blindados Guarani para o Exército, navios para a Marinha e mais recursos para a produção de submarinos, incluindo um modelo nuclear, e o projeto do míssil antinavio nacional MANSUP (Míssil Antinavio de Superfície).

Veja mais: Conheça todos os jatos de combate que voaram com a FAB

Total
99
Shares
2 comments
  1. Não adiantaria. A base de pesquisas em um país encontra-se nas universidades e estas vem sendo destruídas pelo governo Bozo-militar. Qual seria a mão-de-obra das pesquisas se as universidades brasileiras estão perdendo a capacidade para formar engenheiros? Irão contratar chineses? Educação militar? Uma contradição em termos e uma piada. Uma piada uma vez que Bozo CORTOU E CONGELOU investimentos na educação básica. Então corta-se pela metade a verba de uma escola e coloca-se um sargentão da PM para “ensinar as crianças”. Ensinar o quê se o policial não é formado em nenhuma área científica? Técnicas de tortura? A educação privada só abre cursos de direito, não investe em laboratórios pesados que exigem os cursos técnicos. Eu creio que esses dois bilhões serão gastos na farra dos quartéis. Leite condensado, picanha e champagne. Terceiro Mundo.

Comments are closed.

Previous Post

Cessna SkyCourier começa produção com primeira entrega prevista para o final do ano

Next Post

Como a China fez do J-16 um caça melhor que o Sukhoi Su-30

Related Posts