Primeira cliente do tilt-rotor AW609 realiza voo de demonstração

Bristow será a primeira empresa a receber a aeronave da Leonardo, que está em desenvolvimento há muitos anos
O AW609 em voo com seu cliente (Leonardo)

O ex-piloto do MV-22 Osprey dos Fuzileiros Navais dos EUA, Bryan Willows, pilotou pela primeira vez o AW609, primeira aeronave civil tilt-rotor (rotores basculantes) do mundo.

Willows é atualmente é gerente do programa para Mobilidade Aérea Avançada do Grupo Bristow, cliente lançador da aeronave da Leonardo, e participou de um voo de demonstração de uma hora nesta semana na Filadélfia, onde fica a sede da fabricante nos EUA.

“Voar o AW609 pela primeira vez foi uma experiência emocionante e um marco importante para mim”, disse Willows. “O AW609 é uma aeronave importante, pois a Bristow ajuda a avançar a tecnologia de voo vertical, assim como temos feito nos últimos 70 anos”.

O projeto do AW609 tem sofrido inúmeros percalços desde que foi lançado pela Bell e a Boeing em 1996. Além da mudança de sócios (a Leonardo, então Agusta, entrou no programa em 1998), o tilt-rotor sofreu um acidente fatal em 2015.

A pandemia também atrasou o programa de fabricação das primeiras aeronaves de produção em série que deveriam ter ficado prontas em 2021. Agora a Leonardo afima que o primeiro AW609 da Bristow está na reta final de montagem na Filadélfia, mas não arrisca uma previsão de entrada em serviço.

O AW609 durante apresentação em Dubai no final do ano passado (Leonardo)

Certificação pendente

Embora a estreia comercial seja esperada para 2023, a Leonardo ainda depende da certificação do tilt-rotor pela FAA, agência de aviação civil dos EUA. Pela originalidade do projeto, tem sido necessário criar uma legislação específica para o AW609.

Até o momento, a Leonardo afirma ter realizado mais de 1.700 horas de voo com os protótipos da aeronave de rotores basculantes. Unindo as vantagens de um helicóptero, o AW609 pode atingir velocidades semelhantes a de um avião turboélice, além de possuir um alcance considerável.

A demora do programa, no entanto, pode se transformar num grande problema à medida que os eVTOL avançam. Com proposta ecológica e sistemas mais automatizados de voo, essas aeronaves 100% elétricas poderão num futuro não muito distante se aproximar do desempenho do AW609, cujo funcionamento é mais complexo e poluente.

Total
4
Shares
Previous Post

Boeing 737 “gigante”, versão MAX 10 pode ser cancelada

Next Post

Embraer fará “expedição” ao Reino Unido com seus principais aviões

Related Posts
Total
4
Share