Qantas escolhe o A350-100 como seu “preferido” para o projeto Sunrise

Companhia aérea descartou o Boeing 777X na encomenda de 12 jatos de ultra longo alcance que voarão entre Austrália e destinos como Nova York e Londres
A Qantas deve encomendar 12 A350-1000 em versão de maior alcance (Airbus)
A Qantas deve encomendar 12 A350-1000 em versão de maior alcance (Airbus)

A Qantas anunciou nesta sexta-feira (13) que, após avaliar os jatos 777X e A350-1000, selecionou o Airbus como aeronave “preferida” em seu projeto Sunrise, que prevê voos de ultra longo alcance ligando cidades da Austrália a destinos como Nova York e Londres sem escalas.

A companhia aérea australiana, no entanto, deixou claro que não se trata ainda de uma encomenda, mas que está trabalhando próxima à Airbus para preparar o contrato de compra de 12 aviões e que será analisado pelo seu comitê executivo até março de 2020.

A Airbus, por sua vez, estendeu o prazo para definir os slots de produção das aeronaves de fevereiro para março a fim de possibilitar que os aviões sejam entregues em 2023, quando a Qantas pretende inaugurar os voos de longo alcance. Para atender aos requisitos da Qantas, a Airbus ampliará a capacidade de combustível do A350-1000 além de elevar seu peso máximo de decolagem.

A decisão de descartar o 777X não foi explicada, mas a Qantas salientou que a confiabilidade dos turbofans Trent XWB, da Rolls Royce, pesou na escolha. O jato da Boeing utiliza o novo motor GE9X que, embora prometa um baixo consumo de combustível, ainda está num estágio de desenvolvimento inicial enquanto o Trent é usado por várias companhias aéreas há bastante tempo.

Último voo de testes

“Entre os voos de pesquisa e o que aprendemos em dois anos voando de Perth para Londres, temos muita confiança em oferecer voos diretos para Nova York e Londres, partindo da costa leste da Austrália. O A350 é uma aeronave fantástica e o acordo com a Airbus nos oferece a melhor combinação possível de aspectos comerciais, eficiência de combustível, custo operacional e experiência do cliente”, explicou Alan Joyce, CEO do grupo Qantas.

Para avaliar as condições de saúde de tripulantes e passageiros, a Qantas está realizando voos de testes em aeronaves com restrições de peso. Serão três voos ao todo e o último deles, entre Sydney e Nova York, decolará no dia 17 de dezembro.

A companhia aérea ainda discute com o sindicato de pilotos formas de viabilizar os voos de longo alcance, concedendo três por cento de acréscimo nos salários e oportunidades de promoção para tripulantes dos voos de longo alcance.

A Qantas deu a entender que não vê o jato da Boeing com confiabilidade suficiente para o projeto Sunrise (Boeing)

Veja também: Airbus é liberada para projetar A350 capaz de levar 480 passageiros

Total
28
Shares
Previous Post

Terminal executivo no Aeroporto de Guarulhos agora atende voos internacionais

Next Post

Único carro voador do mundo regulamentado vai a leilão

Related Posts