O Gripen F é uma evolução do Gripen D – na imagem acima -, e por enquanto tem apenas a FAB como cliente (SAAB)

A Saab informou nesta quinta-feira (26) que realizou o primeiro “corte de metal” para o caça Gripen F, marcando o início da produção da aeronave em versão para dois pilotos (biposto). O componente produzido nas instalações da empresa em Linköping, na Suécia, é uma parte da seção de dutos de ar, logo atrás do cockpit.

A versão do novo Gripen para dois pilotos é um pedido da Força Aérea Brasileira (FAB), que vai receber oito aeronaves com essa configuração. Segundo a fabricante sueca, o modelo F compartilha o mesmo design e recursos avançados do Gripen E, mas com assento, telas e controles adicionais para um segundo tripulante.

O Gripen F é destinado principalmente para o treinamento de novos pilotos, embora também possa ser configurado para diferentes operações militares.

“Esse marco é importante para o projeto Gripen, pois demonstra que a fase de desenvolvimento está ocorrendo corretamente. Isso sinaliza o início da produção do avião de dois lugares, o Gripen F, que é muito esperado pela Força Aérea Brasileira”, disse o coronel Renato Leite, chefe do Grupo de Monitoramento e Controle (GAC-Saab) da Força Aérea Brasileira.

Segundo o cronograma da FAB, o primeiro voo do Gripen F está programado para outubro de 2021 e será realizado na Suécia. Mais adiante, o caça biposto será produzido no Brasil, assim como a versão para um piloto, nas instalações da Embraer em Gavião Peixoto (SP). O projeto também conta com a participação das empresas brasileiras AEL Sistemas, Akaer e Atech.

“Um trabalho em equipe muito eficaz entre muitas pessoas dedicadas, tanto na Suécia quanto no Brasil, abriu o caminho para esse marco nesta nova versão do Gripen. Esses tipos de marcos são momentos especiais devido à sua raridade e isso é ótimo”, ressaltou Jonas Hjelm, chefe da área aeronáutica da Saab.

A FAB encomendou 28 caças Gripen E que serão entregues a partir de 2021 e oito caças Gripen F, a partir de 2023.

Veja mais: Brasil pode exportar caças Gripen para a Colômbia, diz CEO da Saab