Turboélice Dornier 328 será plataforma para motor a hidrogênio

Deutsche Aircraft e a startup H2Fly anunciaram parceria em programa de desenvolvimento de um avião regional com propulsão a célula de hidrogênio
Deustche Aircraft e H2FLY

As empresas alemãs H2FLY e Deutsche Aircraft assinaram um Memorando de Entendimento nesta terça-feira, 6, com o intuito de pesquisar e desenvolver a tecnologia de célula de hidrogênio para uso em aeronaves regionais.

Para isso, elas farão uso de um turboélice Dornier 328 que servirá com bancada de testes para o projeto. A expectativa é que a aeronave voe pela primeira vez em 2025.

A Deutsche Aircraft foi criada recentemente com a missão de lançar o turboélice D328Eco, um aprimoramento da aeronave original com maior capacidade de passageiros, novos aviônicos e capacidade de utilizar combustíveis sustentáveis.

A H2FLY, por sua vez, é uma startup nascida da parceria entre a German Aerospace Center e a Universidade de Ulm, que estudam a tecnologia de célula de hidrogênio na aviação há alguns anos. Para isso, elas criaram a aeronave experimental HY4, com 4 lugares e um motor elétrico movido a hidrogênio que realizou mais de 70 voos.

A meta do projeto é dar origem a aeronave hidrogênio-elétrica mais potente que já voou, com capacidade para 1,5 MW, segundo a equipe envolvida no programa.

Concepção artística do turboélice D328eco, proposto para 43 passageiros
Concepção artística do turboélice D328eco, proposto para 43 passageiros (Deutsche Aircraft)

“A tecnologia de célula de hidrogênio oferece uma oportunidade para eliminarmos completamente as emissões de carbono e óxido de nitrogênio dos voos regionais e a tecnologia para fazer isso que isso aconteça está mais perto do que se pode imaginar”, afirmou o Prof. Dr. Josef Kallo, co-fundador e CEO da H2FLY.

“Nos últimos 16 anos, trabalhamos muito para demonstrar nossa tecnologia em aeronaves menores, concluindo voos baseados em seis configurações de propulsão. Hoje temos o prazer de levar isso ao próximo nível com a Deutsche Aircraft, à medida que aumentamos nossos esforços para aeronaves regionais”.

“A Deutsche Aircraft está convencida de que a maior eficiência propulsiva das aeronaves movidas a hélice conduzirá a mudança na tecnologia de propulsão e resultará na redução do consumo de combustível e das emissões no futuro. Combinar o design moderno da aeronave movida a hélice com as fontes de energia com zero carbono é fundamental para alcançar um transporte aéreo sustentável”, disse Martin Nüßeler, CTO da Deutsche Aircraft.

O uso de motores movidos a hidrogênio como alternativa aos combustíveis fósseis vem ganhando espaço em novos projetos de aeronaves comerciais. O maior apoiador do conceito é a Airbus, que começou a desenvolver o programa ZEROe este ano.

O combustível, que pode ser extraído da água, tem emissão praticamente zero de poluentes, mas depende de um sistema de armazenamento capaz de reduzir sua temperatura para 253ºC negativos. O hidrogênio também requer quatro vezes mais volume do que o querosene e, portanto, ocupará grande parte da fuselagem de futuras aeronaves comerciais.

Total
86
Shares
0 0 votes
Article Rating
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Luiz Antonio Mendes de Resende

Prestem atenções nas configurações das hélices !

Previous Post
A companhia United Airlines vai receber um total de 50 unidades do novo CRJ550 (Bombardier)

Mitsubishi pode retomar produção dos jatos regionais CRJ, diz site

Next Post

Força Aérea dos EUA mostra o B-21 com novo layout

Related Posts