Air Astana processa Embraer por supostas falhas no E190-E2

Companhia aérea do Cazaquistão alega que aeronaves seriam inseguras de voar e pede indenização de US$ 11,9 milhões na Justiça dos EUA. Fabricante contesta acusação
A Air Astana é o segundo cliente a receber o novo Embraer E190-E2 (Air Astana)
A Air Astana foi o segundo cliente a receber o novo Embraer E190-E2 (Air Astana)

A companhia aérea Air Astana, do Cazaquistão, entrou com uma ação na Justiaça dos EUA na semana passada em que alega que os jatos E190-E2 operados por ela apresentam falhas que os tornam “inseguros de voar”.

A ação, movida na Suprema Corte de Manhattan contra a Embraer pede uma indenização de US$ 11,9 milhões (cerca de R$ 60 milhões). A empresa possui cinco aviões do modelo fornecidos por leasing da AerCap.

Segundo os advogados da Air Astana, ação se destina “a recuperar os danos sofridos pela Air Astana após ter sido obrigada a suspender as operações de uma frota de jatos regionais fabricados pela Embraer, deixando uma frota de aeronaves totalmente novas estacionada e vazia no solo, porque esses aviões não eram seguros”.

Para a companhia do Cazaquistão, “os E2s operados pela Air Astana experimentaram falhas complexas em voo que se espalharam pelos sistemas operacionais das aeronaves. Esses tipos de falhas múltiplas e vinculadas de sistema às vezes são chamadas coloquialmente de falhas em ‘cascata’. Os problemas inaceitáveis em voo descritos abaixo, incluindo as falhas em cascata descritos em detalhes, constituíram-se violações de obrigações devidas à Air Astana”.

A cabine do E190-E2 pode ser dividida em classes diferentes (Embraer)
A cabine do E190-E2 (Embraer)

Entre os defeitos relatados estão falhas nos sistemas anti-gelo das asas, problemas com a pressurização da cabine que levaram ao acionamento das máscaras de oxigênio, alerta de fumaça na cabine, falha na bomba hidráulica, mudanças de altitude sem intervenção da tripulação e falhas no acionamento dos slats em seis ocasiões.

A Air Astana afirmou ainda que foi forçada a suspender as operações com os E2 desde 15 de dezembro de 2020 e que eles continuariam aterrados.

“Única companhia aérea que suspendeu o uso de aeronaves E2”

A Embraer divulgou um comunicado em que contesta categoricamente as acusações da Air Astanta. A empresa “nega ter violado quaisquer obrigações para com a Air Astana e se defenderá vigorosamente de todas as reivindicações feitas”.

De acordo com a fabricante brasileira, em novembro de 2020, um dos E190-E2 teve um problema técnico com um componente. “Embora questões como esta ocorram ocasionalmente, em nenhum momento isso constituiu um risco imediato à segurança e a aeronave pousou de forma segura”, afirmou a Embraer.

O primeiro E190-E2 da Air Astana exibe a pintura de um Leopardo das Neves, felino nativo do país (Embraer)
O primeiro E190-E2 da Air Astana exibe a pintura de um Leopardo das Neves, felino nativo do país (Embraer)

A companhia estranhou a postura da Air Astana já que o procedimento padrão em casos como esse é informar o fornecedor do componente e as autoridades de aviação. É então emitida um ‘Boletim de Informação’ que determina a substituição em um tempo menor do que o previsto para todos os operadores.

“A segurança é a prioridade número um para a Embraer. A Embraer reconhece que este é um momento extremamente desafiador para nossa indústria e tem ajudado e continuará a ajudar todos os operadores nestes tempos difíceis”, disse a companhia.

“A Embraer tem a reputação de ‘ir além’ no atendimento a seus clientes e a empresa já dedicou muitos recursos para auxiliar a Air Astana. Contudo, a Embraer aguarda a apresentação de seu caso em juízo”, completou a nota.

Estreia em dezembro de 2018

A Air Astana recebeu cinco jatos E190-E2 a partir de dezembro de 2018 via leasing com a empresa AerCap. A empresa aérea já é cliente da Embraer desde 2011 quando recebeu o primeiro E190.

Segundo registros de voos pelo ADS-B, dois dois E190-E2 estão voando regularmente, prefixos P4-KHA e P4-KHB, enquanto os demais não mostram atividade desde dezembro do ano passado.

Atualmente existem 17 E190-E2 entregues, a maior parte com a Helvetic Airways (8). A Air Kiribati opera uma aeronave e a Wideroe, cliente lançadora do modelo, outros três aviões.

Total
11
Shares
0 0 votes
Article Rating
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo Lopes
Marcelo Lopes
4 meses atrás

Pra mim isso tem cheiro de tentativa de prejudicar o concorrente… de estratégia pra prejudicar a vida da Embraer… Airbus perde vendas no segmento dos aviões da Embraer… Boeing fud**** por causa dos erros que cometeu… sei não!!! Isso está esquisito. Nunca vi isso…Qualquer aeronave pode apresentar problemas, qualquer uma… basta reportar os problemas e tudo é resolvido… até em casos de acidentes graves, não tem sentido essa reação abrupta da Air Astana… A Embraer tem histórico de parceira dos compradores de seus aviões…a gente lê isso todo tempo… esse relato da Air Astana é no mínimo suspeito!!

Previous Post

Gulfstream entrega último jato executivo G550

Next Post
A companhia United Airlines vai receber um total de 50 unidades do novo CRJ550 (Bombardier)

Mitsubishi pode retomar produção dos jatos regionais CRJ, diz site

Related Posts