O primeiro voo do avião híbrido E-Fan X era programado para 2021 (Airbus)

O programa E-Fan X, esforço conjunto entre Airbus e Rolls-Royce para desenvolver uma aeronave experimental com motorização híbrida-elétrica, foi cancelado na última semana em meio à crise do setor aéreo causada pela pandemia do novo coronavírus.

Iniciado em 2017, o projeto serviria como base para explorar a “eletrificação” da aviação a partir de um jato comercial Avro RJ100 “Jumbolino” equipado com um motor elétrico. O primeiro voo do avião modificado estava programado para 2021.

Em comunicado, a diretora da tecnologia da Airbus, Grazia Vittadini, disse que a decisão de cancelar o E-Fan X foi tomada em conjunto em com a RR devido aos impactos da pandemia. “Essas decisões nem sempre são fáceis. Mas, sem dúvida, são necessárias para manter o curso.”

Vittadini ainda acrescentou que, embora a aeronave “não vá para o céu”, o esforço investido no programa não foi em vão. “Dizer que aprendemos muito com esse projeto demonstrador seria um eufemismo. Nos últimos três anos, cada marco bem-sucedido do E-Fan X nos ofereceu informações valiosas para o futuro.”

Segundo a diretora de tecnologia da Airbus, os avanços colhidos nos últimos três anos com o E-Fan X incluem a exploração de arquitetura híbrida, baterias e sistemas de alta tensão e novas tecnologias de redução de dióxido de carbono, além de certificação e conhecimento regulatório. Ela também ressaltou que a fabricante desenvolveu um “roteiro mais focado” para avançar na redução das emissões poluentes na aviação.

“Como em todos os programas de ponta, avaliamos constantemente o melhor caminho a seguir e ficou claro para ambas as partes que o requisito real de realizar um voo de teste com todos os elementos integrados não é crítico no momento”, afirmou Paul Stein, diretor de tecnologia da RR.

O E-Fan X foi o segundo projeto da Airbus na “eletrificação” da aviação de asa fixa. Entre 2014 e 2017, o grupo aeroespacial europeu desenvolveu e testou com sucesso o “E-Fan”, um protótipo de avião de pequeno porte com motorização 100% elétrica. A principal realização do projeto foi a primeira travessia aérea do Canal da Mancha, entre a França e Inglaterra, com um avião elétrico.

Rolls-Royce segue no projeto

A divisão aeronáutica informou que vai continuar as atividades de testes em solo com o sistema de geração de energia do E-Fan X, apesar da saída da Airbus.

E-Fan X: um dos quatro motores do Avro RJ100 seria substituído por um propulsor elétrico (Airbus)

“Vamos passar por um curto período de novo planejamento devido a essa decisão para garantir que capturemos adequadamente todas as lições, conhecimentos e propriedade intelectual associada”, disse Stein.

A modificação do Avro RJ100 selecionado para os testes de voo era realizada no aeroporto de Cranfield, no Reino Unido. O plano dos projetistas era trocar um dos quatro turbofans do Jumbolino por um motor elétrico alimentado por um gerador de 2 MW.

A RR também seguirá testando o gerador elétrico proposto para o E-Fan X e demais sistemas de controle de energia e gerenciamento térmico do propulsor híbrido.

Mesmo com o fim da parceria Airbus-RR, novos projetos de aeronaves híbrido-elétricos poderão empregar os sistemas desenvolvido para o E-Fan X, como adiantou o diretor de tecnologia da Rolls-Royce.

Veja mais: Airbus avança na produção do A321XLR em meio à pandemia