“Airbus russo”, Irkut MC-21 volta aos testes de voo

Fabricante espera concluir a certificação da aeronave até o final deste ano e iniciar as entregas em 2021
Irkut MC-21
Irkut MC-21 (Dmitry Terekhov)
(Dmitry Terekhov)

A Irkut, divisão do grupo estatal russo United Aircraft Corporation (UAC), retomou nessa quarta-feira (22/4) os testes de voo com o jato comercial MC-21-300 após uma pausa de um mês para ajustar as atividades da fabricante de acordo com as medidas de prevenção do novo coronavírus.

Proposto como uma alternativa aos tradicionais Airbus A320 e Boeing 737, o avião produzido na Rússia já concluiu quase a metade dos voos necessários para garantir a certificação operacional, informou a fabricante. A expectativa é que a campanha de testes seja concluída até o final deste ano, permitindo a entrega das primeiras aeronaves em 2021.

De acordo com a Irkut, os quatro protótipos da aeronave que participam dos testes já completaram pouco mais de 300 voos dos cerca de 650 necessários para obter a certificação russa. A fabricante ainda diz que aumentou a frequência dos ensaios com os jatos no início deste ano para avaliar cerca de 40.000 parâmetros de voo.

Até o momento, o MC-21 foi submetido a voos em altitudes e velocidades características de operações comerciais. Os pilotos de testes também realizaram várias avaliações de decolagens e pousos simulando falhas de motor, bem como verificações dos instrumentos do avião, como os sistemas ILS e recursos de navegação, em voos diurnos e noturnos.

Além disso, a Irkut diz que cada avião vem sendo fabricado levando em consideração os resultados de testes anteriores e que vem melhorando vários sistemas embarcados na aeronave. A empresa também informou que está concentrando “esforços significativos” no desenvolvendo e provas dos softwares de voos.

“Airbus russo”

O primeiro MC-21 foi apresentado na fábrica da Irkut em Irkutsk, na região da Sibéria, em 8 de junho de 2016 e o voo inaugural aconteceu em 28 de maio de 2017, após um atraso considerável no desenvolvimento da aeronave. O plano dos russos, que iniciaram o projeto em 2006, era ter o avião concluído e certificado em 2012.

O primeiro protótipo do jato russo MC-21 deve decolar somente em 2017 (UAC)
Rollout do MC-21 em 2016: jato russo está entre os mais avançados da categoria narrowbody (UAC)

Todos os MC-21 em testes até o momento são impulsionados por motores Pratt & Whitney PW1400G. A fabricante também está perto de finalizar o primeiro modelo equipado com o turbofan Aviadvigatel PD-14, produzido na Rússia.

O MC-21 é projetado transportar de 163 a 211 passageiros em voos de até 6.000 km. A fabricante tem hoje 174 pedidos firmes de compra pelo novo jato, de empresas da Rússia, Azerbaijão e Egito. O primeiro operador do modelo será a Aeroflot, a maior companhia aérea russa.

Além de abastecer o mercado russo, a Irkut também planeja alcançar mercados do Ocidente com o MC-21, por isso oferece a aeronave com motores Pratt & Whitney, um dos maiores fornecedores da aviação comercial, sobretudo nas regiões com maior tráfego, como Estados Unidos e Europa.

A empresa ainda afirma que a nova aeronave apresenta custos de operação até 15% inferiores comparados aos de modelos tradicionais do segmento, fator que pode atrair companhias aéreas de outros países. Além disso, o MC-21 é mais barato que seus concorrentes, com preço estimado em US$ 91 milhões, enquanto um Airbus A320neo passa dos US$ 110 milhões.

A versão MC-21-300 é capaz de transportar até 211 passageiros em classe única (UAC)

Em termos técnicos, o MC-21 é mais parecido com o A320 do que com o 737. Assim como o jato da Airbus, o modelo da Irkut é equipado com comandos de voo computadorizados (fly-by-wire), enquanto o avião da Boeing ainda utiliza controles mecânicos.

O MC-21-300 é o primeiro modelo de uma família de jatos comerciais que pode ter ainda outras duas opções, com tamanhos e desempenhos diferentes. O segundo modelo será o MC-21-200, projetado para embarcar de 132 a 165 passageiros e com autonomia de 6.400 km. Já a terceira variante é o MC-21-400, para até 230 ocupantes e alcance de 5.000 km.

Veja mais: Airbus avança na produção do novo A321XLR

Total
27
Shares
Previous Post

Boeing está prestes a retomar voos de certificação do 777X

Next Post

O desafio de manter aviões de passageiros preservados durante a quarentena

Related Posts