Bombardeiro ‘invisível’ chinês será mesmo clone do B-2 dos EUA

Imagens inéditas confirmam que o Xian H-20 terá formato de asa voadora, como a aeronave da USAF fabricada pela Northrop Grumman
Imagem de computador do H-20, primeiro bombardeiro stealth chinês (Reprodução)

O primeiro bombardeiro furtivo da Força Aérea do Exército Popular de Libertação (PLAAF) da China terá enorme semelhança com Northrop Grumman B-2, da USAF. É o que indicam imagens inéditas da aeronave presentes num vídeo de recrutamento do governo do país asiático.

Em determinado momento do vídeo, divulgado nos últimos dias, um avião muito parecido com o B-2 é mostrado de frente e logo em seguida é possível notar seu reflexo no visor do capacete de um piloto – as imagens foram geradas por computador.

Conhecido informalmente como H-20, o misterioso bombardeiro está sendo desenvolvido pela Xian e deve ser revelado em breve. Segundo relatos da imprensa chinesa, o avião poderia ter sido apresentado no final do ano passado durante o shoe aéreo de Zhuhai em novembro.

O vídeo da PLAAF, com cerca de 4 minutos de duração, abusa de efeitos especiais e de um roteiro hollywoodiano na tentativa de atrair jovens para o serviço militar. Além de várias aeronaves, o vídeo mostra o caça Chengdu J-20 em imagens reais e também virtuais. Apenas nos segundos finais, o bombardeiro stealth surge coberto por um pano e que é parcialmente retirado, revelando suas primeiras formas.

Assim como o B-21 e seu sucessor nos EUA, o B-21 (também inédito), o bombardeiro chinês é uma asa voadora, com entradas de ar na parte superior. O trem de pouso aparenta ter um mecanismo clonado do jato da Northrop Grumman, posicionado bem próximo ao nariz do avião.

Duas protuberâncias em ambas as pontas das asas, no entanto, podem denotar algum tipo de controle de rolagem ou de estabilidade do H-20, talvez por conta de alguma limitação ou aperfeiçoamento do projeto.

Embora não existam dados oficiais, o novo bombardeiro deverá voar a uma velocidade subsônica e contar com sistemas e materiais para reduzir consideravelmente sua assinatura de radar. O jato deverá contar com sistema de reabastecimento aéreo e grande alcance, além de transportar mísseis de cruzeiro.

Apesar de ter uma força aérea numerosa e em alguns aspectos mais avançada que a Rússia, a China conta apenas com um bombardeiro, o H-16, na verdade uma versão otimizada do velho Tu-16 Badger, fabricado pela Tupolev desde os anos 60.

O H-20 refletido no visor do capacete (Reprodução)

Veja também: Aviões chineses invadiram a zona de defesa de Taiwan 380 vezes em 2020

Total
39
Shares
Previous Post
Aviões chineses invadiram a ADIZ de Taiwan 380 vezes em 2020

Aviões chineses invadiram a zona de defesa de Taiwan 380 vezes em 2020

Next Post

Aéreas dos EUA aumentam segurança após invasão do Capitólio

Related Posts