Embraer e BAE Systems unem forças para promover o C-390 e o eVTOL da Eve

Fabricantes assinaram dois memorandos de entendimento para promover o C-390 no mercado internacional e projetar um eVTOL de uso militar
Jackson Schneider, CEO da Embraer Defesa & Segurança, e Ian Muldowney, Diretor de Operações da BAE Systems, reunidos no Farnborough Airshow 2022 (Embraer)

Quem não tem Boeing, caça com a ajuda dos britânicos da BAE Systems. A maior empresa de tecnologia aeroespacial do Reino Unido e a Embraer anunciaram nesta terça-feira (19) a assinatura de dois memorandos de entendimento (MoUs, na sigla em inglês) para estabelecer parcerias no setor militar.

MAIS: eVTOL da Eve tem configuração mais convencional
EMBRAER: Novo turboélice já tem 250 unidades reservadas
NEGÓCIOS: Embraer anuncia encomendas de US$ 2,68 bilhões

O primeiro memorando prevê a criação de uma colaboração estratégica entre a Embraer e a BAE para promover a aeronave multimissão C-390 Millennium em mercado do Oriente Médio, começando pela Arábia Saudita. No segundo MoU, as duas empresas confirmaram suas intenções de criarem uma joint venture para desenvolver uma versão militar do veículo elétrico de decolagem e pouso vertical (eVTOL) da Eve.

“O memorando para o C-390 Millennium tem como base as competências de duas líderes aeroespaciais, a Embraer e a BAE Systems. A aeronave traz um novo conceito ao mercado, oferecendo uma plataforma versátil e multimissão com custos operacionais extremamente competitivos e alta disponibilidade, uma combinação imbatível”, disse Jackson Schneider, Presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança.

Ian Muldowney, Diretor de Operações da BAE Systems para o Setor Aéreo, disse: “Esta colaboração ressalta as capacidades da aeronave C-390 Millennium, assim como o amplo conhecimento e compreensão dos mercados internacionais da BAE Systems, incluindo experiência em ampliar a capacidade militar e de industrialização por meio de soluções de suporte, manutenção e treinamento para aeronaves avançadas.”

Uma parceria estratégica para promover e dar suporte internacional ao C-390 era um dos pontos previstos na joint venture entre a Embraer e a Boeing. A parceria entre as companhias, porém, foi cancelada por iniciativa dos americanos em abril de 2020 antes de ser estabelecida.

eVTOL militar

Sobre a parceria no ramos dos eVTOLs, as empresa informaram que pretendem criar uma joint venture que “reunirá as reconhecidas competências da Embraer e da BAE Systems” para desenvolver uma variante militar da aeronave elétrica de transporte urbano da Eve.

eVTOL militar: plataforma da aeronave será fornecida pela Eve, divisão da Embraer (Embraer)

“As equipes da Embraer e da BAE Systems continuarão trabalhando juntas para explorar como a aeronave, projetada para o mercado de mobilidade urbana, pode ser uma variante de defesa com baixos custos operacionais, sustentável e adaptável”, explicou Schneider.

Está é a primeira que grandes fabricantes do setor aeroespacial cogitam a elaboração de projetos de eVTOLs militares, um tema que já é estudado pelas forças armadas dos Estados Unidos.

“O ambiente operacional de nossos clientes está cada vez mais complexo e o eVTOL é apenas um exemplo de como estamos estudando tecnologias emergentes, inclusive do mercado de aviação comercial. Exploramos como podemos adaptar essas soluções para oferecer aos nossos clientes uma capacidade operacional vital a um custo reduzido, ao mesmo tempo em que reforçamos nossos compromissos ambientais e de sustentabilidade”, acrescentou Muldowney.

Paralelo a assinatura dos memorandos de entendimento, a Eve anunciou hoje uma Carta de Intenção não vinculativa com a Embraer e a BAE para explorar uma potencial encomenda de até 150 eVTOLs da empresa brasileira. O objetivo do acordo é analisar a aplicação desse novo tipo de aeronave no mercado de defesa e segurança.

Total
1
Shares
Previous Post

Novo turboélice da Embraer já conta com mais de 250 aeronaves reservadas

Next Post

Embraer anuncia encomendas de US$ 2,68 bilhões em Farnborough

Related Posts
Total
1
Share