Concepção artística do KC-390 com as cores da Força Aérea Portuguesa (Divulgação)

A primeira das cinco aeronaves Embraer KC-390 encomendadas pela Força Aérea Portuguesa (FAP) começou a ser construída em solo português. A OGMA, subsidiária da fabricante brasileira em Portugal, anunciou na última semana que finalizou a produção do primeiro painel de fuselagem deste avião.

Parte importante do programa KC-390, a OGMA é responsável pela fabricação de 10 painéis que compõem a fuselagem central, sponsons direitos e esquerdo (carenagem do trem de pouso central) e os lemes de profundidade do cargueiro militar. Esses componentes são produzidos com material composto e ligas metálicas.

As peças fabricadas em Portugal são enviadas de navio ao Brasil, com destino à fábrica da Embraer em Gavião Peixoto (SP), onde fica a linha de montagem final do KC-390 (ou “C-390 Millennium” na designação comercial).

Após uma longa fase de negociações, o governo de Portugal confirmou em agosto de 2019 a compra de cinco cargueiros KC-390 para equipar sua força aérea. O contrato é avaliado em 827 milhões de euros e as aeronaves serão entregues entre 2023 e 2027.

Portugal é o maior parceiro internacional do programa KC-390 e participa do desenvolvimento e produção da aeronave. Outros países envolvidos no projeto são a Argentina e República Tcheca.

Assim como no Brasil, o objetivo de Portugal com a aquisição do KC-390 é substituir a antiga frota de turbo-hélices C-130 Hercules, da norte-americana Lockheed Martin. A FAP possui atualmente quatro Hercules em serviço e eles devem continuar em operação por mais uma década.

A Força Aérea Brasileira (FAB), primeiro cliente do KC-390, já conta com duas aeronaves ativas. O pedido total da FAB compreende 28 aeronaves.

Veja mais: Maior avião bimotor da história, Boeing 777X completa primeiro voo