Marinha brasileira perde interesse em modernizar caças A-4 Skyhawk

Jatos de combate passam por atualização tecnológica realizada pela Embraer, mas força admite que pode encerrar programa por falta de verbas
Apesar da capacidade naval, os AF-1 atualmente operam a partir de bases terrestres (MB)
Apesar da capacidade naval, os AF-1 atualmente operam a partir de bases terrestres (MB)
Apesar da capacidade naval, os AF-1 atualmente operam a partir de bases terrestres (MB)
Apesar da capacidade naval, os AF-1 atualmente operam a partir de bases terrestres (MB)

A Marinha do Brasil admitiu ao site Jane’s que pensa em reduzir o investimento na modernização dos caças A-4 Skyhawk adquiridos há quase duas décadas e que operavam a bordo do porta-aviões São Paulo, que está em processo de desmobilização.

Rebatizados como AF-1 Skyhawk, os jatos de combate foram comprados do Kuwait no final da década de 90 e marcaram a estreia da força com aeronaves de asa fixa próprias. Doze unidades foram repassadas ao país, três delas bipostos (AF-1A). Embora bem conservados, os aviões chegaram com um padrão tecnológico ultrapassado e a Marinha optou por atualizá-los em 2009.

A Embraer foi escolhida para a empreitada que incluiu a instalação de um novo radar Elta 2032, novos displays multifuncionais incluindo um HUD (visor ao nível dos olhos), além de um sistema de navegação inercial e revisão geral. O primeiro exemplar modernizado, ganhou a designação AF-1B e foi entregue apenas em maio de 2015, mas pouco mais de um ano depois um dos aviões foi perdido num acidente no mar.

Com a aposentadoria do porta-aviões São Paulo e a restrição orçamentária pela qual passa o governo federal a modernização parece ter perdido o sentido. Isso não significa que a Marinha brasileira tenha perdido o interesse em ter aviões de combate em operação, como a própria demonstrou ao manter vivo o interesse na versão marítima do Gripen.

Primeiro AF-1 modernizado é entregue a Marinha do Brasil em Gavião Peixoto (SP)
Primeiro AF-1 modernizado é entregue a Marinha do Brasil em Gavião Peixoto (SP)

Total
0
Shares
6 comments
  1. Lógico eles fazem isso de não modernizar nossos jatos.Para sobra mais pra eles roubarem.
    Até quando isso vai continuar?

  2. Qnt eles ganham em cada modernização dessas? Compra…inativa…cada item comprado, modernizado são milhões em propina. Única razão da existência desses aviões.

  3. Fico triste com os comentários acerca do nosso páis. Será que tem mutreta em tudo? Nossas forças armadas tiram leite de pedra.

    Militarmente, o Brasil não precisa de porta aviões, mas sim de submarinos, fragatas e artilharia anti-aérea. Isso é o básico! Temos de investir em tecnologia militar, é urgente! Temos um país continente e não temos como defendê-lo a rigor!

    Força Brasil!

    Verás que um filho teu não foge a luta!

Comments are closed.

Previous Post

Fundador da Azul, David Neeleman deixa presidência da companhia aérea

Next Post

Airbus entrega o centésimo A350 XWB

Related Posts