Programa luso-brasileiro ATL-100 será lançado nesta sexta-feira em Portugal

Avião utilitário é projetado pela empresa brasileira Desaer em parceria com o CEiiA de Portugal
Desaer ATL-100
A versão comercial do ATL-100 tem espaço para até 19 passageiros (Divulgação)
Desaer ATL-100
A versão comercial do ATL-100 tem espaço para até 19 passageiros (Divulgação)

A Desaer, empresa de São José dos Campos (SP), e o Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto (CEiiA), de Portugal, vão lançar nesta sexta-feira (25), em Evorá, nas instalações do Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia (PACT), o programa ATL-100.

O projeto iniciado no Brasil pela Desaer em 2018 ganhou o reforço do CEiiA em maio deste ano, quando as duas partes formaram uma joint-venture. O objetivo do grupo é desenvolver e produzir o ATL-100, uma aeronave bimotor turboélice utilitária de nova geração para aplicação civil e militar, com capacidade para até 19 passageiros ou 2,5 toneladas de carga.

“Com este programa, queremos reforçar de forma definitiva aquele que é o polo aeronáutico nacional em Évora, com o desenvolvimento de um programa completo e inovador que nos permite criar um novo integrador a partir de Portugal, para a industrialização e operação de aeronaves de nova geração”, afirma Miguel Braga, diretor do CEiiA.

Para Roberto Figueiredo, acionista da Desaer, “esta parceria agrega competências complementares do setor aeroespacial de Portugal e do Brasil, além de ser um importante projeto de inovação tecnológica e de criação de emprego em ambos os países”.

O ATL-100 é o primeiro programa aeronáutico completo que será desenvolvido em Portugal. Segundo comunicado do CEiiA, o projeto prevê o envolvimento de mais de 30 empresas e universidade nacionais e internacionais, incluindo instituições ligadas ao MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts).

A aeronave poderá carregar cerca de 2.500 kg em cargas (Divulgação)
A aeronave é projetada para carregar cerca de 2.500 kg em cargas (Divulgação)

Substituto para o Embraer Bandeirante

Formada por ex-engenheiros da Embraer, a Desaer está instalada na Incubaero, uma incubadora de empresas e projetos aeronáuticos da Fundação Casimiro Montenegro Filho, no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA).

O projeto ATL-100 da Desaer inclui algumas características que aumentam a performance e as possibilidade operacionais da aeronave, como a asa alta e o conjunto de trem de pouso fixo. Esses componentes são ideais para aviões desenvolvidos para exercer trabalhos pesados, como pousar e decolar a partir de pistas semi-preparadas de terra ou grama – ou mesmo locais sem pista alguma.

Na visão da empresa paulista, o ATL-100 tem potencial para substituir os antigos Embraer Bandeirante da Força Aérea Brasileira, aeronaves que devem ser aposentadas até o final desta década. Até lá, se tudo correr como o planejado pela Desaer e seu novo parceiro de Portugal, o novo avião deve estar pronto para ser demonstrado à FAB.

Veja mais: Novo caça brasileiro, Gripen voou pela primeira vez há 32 anos

 

Total
69
Shares
Previous Post

Primeiro voo da ITA Linhas Aéreas está programa para março de 2021

Next Post

Com nome famoso, companhia aérea da Nigéria é nova cliente da Embraer

Related Posts