República Tcheca é mais um país a preferir o caça Lockheed Martin F-35

País europeu vai buscar acordo com os EUA para contar com 24 aeronaves para substituir seus caças Saab Gripen C/D
Caça F-35A (USAF)

A República Tcheca manifestou a intenção de negociar a aquisição de caças F-35A, da Lockheed Martin. O jato de 5ª geração deverá substituir os Saab Gripen C/D operados por meio de leasing.

A decisão por optar pelo F-35 foi anunciada pelo Primeiro Ministro Petr Fiala na quarta-feira, 20. “Estas são decisões importantes em um momento em que a segurança da Europa e da República Tcheca enfrenta novos desafios causados pela agressão da Rússia na Ucrânia”, afirmou.

Veja também:

Segundo a Ministra da Defesa Jana Cernochova, a Força Aérea da República Tcheca pretende contar com 24 caças F-35 e a negociação deverá ser concluída até outubro de 2023.

“Nossa decisão de selecionar esta opção é baseada na análise das forças armadas tchecas, que articula claramente que apenas os caças de quinta geração mais avançados serão capazes de atender aos requisitos da missão em campos de batalha futuros”, afirmou.

Atualmente, a defesa aérea do país é feita por 14 caças Gripen C/D, da Saab, cujo contrato de leasing expira em 2027. O governo sueco chegou a manifestar a intenção de doar as aeronaves caso os tchecos escolhessem o Gripen E/F, de nova geração.

Caça Gripen C da República Tcheca (CAF)

Sem concorrentes

Com a República Tcheca, já são cinco as nações que selecionaram o F-35 nos últimos meses. Suíça, Finlândia, Canadá e Alemanha anunciaram acordos para operar o caça avançado da Lockheed Martin, que tem sobrepujado concorrentes como o Dassault Rafale, Eurofighter Typhoon, Boeing F/A-18 Super Hornet e Saab Gripen, de projeto mais antigo.

O próprio governo dos EUA, que havia reduzido o ritmo de entregas do caça, anunciou nesta semana ter chegado a um acordo de aquisição de 375 novos F-35 para as forças armadas.

Único caça de 5ª geração disponível no mercado no momento, o F-35 tem levado vantagem não apenas pela capacidade furtiva, mas pelo projeto modular, que permite atualizações tecnológicas no futuro, uma forma de tornar o investimento mais viável a longo prazo.

 

Total
1
Shares
0 0 votes
Article Rating
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
JAIR TOMAZ E SILVA FILHO
JAIR TOMAZ E SILVA FILHO
22 dias atrás

o Putin ao invadir a Ucrânia ajudou e muito o EUA a vender suas armas.

Dario Lemos
Dario Lemos
21 dias atrás

Somente os EUA? Repare que toda a indústria bélica está vendendo, não importando de qual país seja.

Previous Post

DHL traz avião próprio ao Brasil para reduzir tempo de entregas

Next Post

Embraer E195-E2 pousa pela primeira vez no restrito aeroporto London City

Related Posts
Total
1
Share