A Azul receberá mais três A330neo neste ano, o que deve permitir a expansão para Nova York (Azul)

Os rumores que correm no meio aeronáutico estavam certos: a Azul anunciará nesta quinta-feira (16) seu próximo destino internacional, Nova York. Será a terceira cidade nos Estados Unidos atendida pela companhia aérea brasileira que hoje voa apenas para Fort Laurderdale (próximo à Miami) e Orlando, na Flórida. Os voos terão início em 15 de junho e serão diários.

O aeroporto escolhido para o voo da Azul será o John F. Kennedy, o mais importante da cidade e para onde voa a rival Latam, assim como a American Airlines e Delta. Apenas a United Airlines utiliza o outro aeroporto internacional que atende a região, o Newark. Até então, havia uma expectativa de que a companhia aérea de David Neeleman pudesse optar por ele em uma aproximação com a congênere americana. Ao preferir o JFK possivelmente a Azul planeje utilizar a rede de conexões da JetBlue, outra empresa fundada pelo brasileiro naturalizado americano, e que tem um hub nesse terminal.

O voo AD8700 decolará às 20h30 de Campinas com previsão de pouso no JFK às 05h30 do dia seguinte. O retorno se dará pelo voo AD8701 que parte de Nova York às 23h30 e pousa em Viracopos às 10h30 do dia seguinte. Em princípio, a maior parte dos voos será operada com o A330-200, com o novo A330-900neo sendo usado em alguns dias.

A informação de que a Azul ampliará sua malha internacional foi confirmada pela empresa no final do ano passado, mas o terceiro destino não era claro. Sabe-se que a companhia tentou ficar com os slots da Aigle Azur no aeroporto de Orly, em Paris, e que ainda almeja servir a capital francesa, mas Nova York, pode ser uma jogada mais segura afinal a cidade era atendida pela Avianca até março do ano passado e o JFK é um hub mais alinhado com maior potencial para a empresa. Além dessas duas cidades, a Azul estuda uma terceira rota intercontinental, mas que é mantida em sigilo, embora há quem aponte uma preferência pela Costa Oeste dos EUA.

Para dar conta da nova rota, a Azul deverá receber mais três aeronaves A330-900 em 2020 totalizando cinco jatos avançados que, somados aos sete A330-200, permitirá oferecer voos diários para a maior cidade dos EUA.

Avanço sobre as concorrentes

O anúncio desta quinta-feira será o segundo movimento importante da Azul em 2020, ano que mal começou. Dias atrás, a companhia surpreendeu o mercado ao confirmar que está negociando a compra da regional TwoFlex que, embora tenha pouca relevância em números absolutos, era considerada estratégica nos planos da concorrente Gol, que até então expandia seus acordos de compartilhamento para que pudesse chegar a mais cidades onde seus Boeing 737 não podem operar ou não são viáveis financeiramente.

Com isso, a Azul afirma que passará a atender 150 destinos dentro do Brasil, uma marca muito superior às suas rivais. Na outra ponta, a empresa passará a concorrer em um dos destinos de maior atração para o público brasileiro, reforçando ainda mais sua rede de rotas em Viracopos. E há quem achava que 2019 já havia sido marcante para a companhia aérea…

Compra da TwoFlex foi o primeiro anúncio impactante em 2020 (Thiago Vinholes)

Veja também: Primeiro A321neo da Azul entra em serviço