(Thiago Vinholes)

Aeroporto de Congonhas: retomada de voos e fim do silêncio (Thiago Vinholes)

Ainda estará longe do movimento incessante de tempos atrás, mas a tranquilidade dos moradores do entorno do Aeroporto de Congonhas tem prazo para acabar. Praticamente parado, o terminal aeroportuário, segundo mais movimentado do Brasil, está às moscas desde que a pandemia do novo coronavírus atingiu o país para valer em março. Aos poucos, no entanto, algumas companhias aéreas começam a anunciar a retomada de seus voos, como a Azul e a Gol.

Trata-se de um movimento bastante tímido, é verdade, mas que deve ganhar força à medida que os casos de COVID-19 comecem a baixar, como ocorre em outros países que passaram pelo mesmo drama. A Gol, por exemplo, passará a voar de uma a duas vezes ao dia entre Congonhas e os aeroportos Santos Dumont e Juscelino Kubitschek, em Brasília, no próximo domingo, 24.

Em junho, a malha da companhia aérea será ampliada de forma mais significativa. A partir do dia 10 do mês que vem, a Gol terá até cinco voos diários para a capital federal, outros cinco para o Rio, dois para Curitiba, Belo Horizonte e Porto Alegre, e um voo para as cidades de Recife, Florianópolis, Navegantes e Salvador.

A Azul, por sua vez, anunciou nesta semana que passará a voar diariamente de Congonhas para o Santos Dumont, no Rio de Janeiro a partir de 15 de junho duas vezes ao dia durante os dias úteis e com uma frequência diária aos fins de semana. A capital de Minas Gerais também terá a mesma oferta de voos com destino ao Aeroporto de Confins enquanto Recife e Cuiabá contarão com um voo diário durante a semana e apenas uma decolagem em cada sentido aos finais de semana. Segundo a empresa, a malha deverá atingir 168 decolagens diárias no pico, incluindo outras frequências que serão reativadas.

Existe um tráfego de pessoas que precisam do transporte aéreo para se locomover, principalmente de médicos, agentes públicos e outras categorias também. A necessidade de logística é muito necessária neste momento, principalmente porque muitas cidades ainda estão desconectadas pelo modal rodoviário. Adotando os protocolos sanitários e garantindo a segurança de nossos clientes, estamos ampliando a quantidade de voos e cidades de nossa malha conforme a necessidade”, justificou André Mercadante, gerente geral de planejamento de malha da Azul.

Atualmente, Congonhas conta apenas com alguns voos diários da LATAM para o Rio de Janeiro e Brasília, operados com o Airbus A319, sua aeronave de menor capacidade. A companhia ainda não revelou quando voltará a expandir suas operações no Brasil, mas espera-se que isso ocorra em breve.

A Azul voará diariamente de Congonhas para Recife (Diegonvs)

Veja também: Two Flex é rebatizada como Azul Conecta