Por dentro dos gigantes 777-9 e 737 MAX 10

Novas aeronaves comerciais da Boeing participam pela primeira vez do show aéreo de Farnborough
O 777-9 visto de dentro do 737 MAX 10: mastodontes da Boeing

 

Ambos são os maiores integrantes de suas famílias, com capacidade para transportar 230 e 426 passageiros, dependendo da configuração. Mas por enquanto o 777-9 e o 737 MAX 10, que estão no Farnborough Airshow, na Reino Unido, são apenas laboratórios voadores, necessários para o programa de certificação.

Airway teve a oportunidade de visitar os dois novos jatos comerciais da Boeing neste domingo, 17, na véspera da abertura da maior feira aeroespacial do ano e descreve a seguir suas impressões.

Boeing 777X, o maior jato de passageiros bimotor do mundo

O 777-9, a variante de maior capacidade já construída do “triple seven”, é uma aeronave impressionante. São quase 70 metros de comprimento, assim como o Boeing 747, mas o 777 utiliza apenas dois motores em vez de quatro.

Para compensar isso, a GE desenvolveu o GE9X, o maior turbofan do mundo, com 3,4 metros de diâmetro interno. Ao vivo, ver o motor e o próprio 777 nos fazem sentir minúsculos, uma sensação ampliada pelo enorme trem de pouso principal.

O imenso motor GE9X, maior turbofan do mundo

O 777-9 que está em Farnborough é o primeiro protótipo, conhecido pela designação WH001 e matrícula N779XW, e que voou pela primeira vez em 25 de janeiro de 2020.

O interior da aeronave está repleto de tanques pressurizados de água que são usados para controlar o centro de gravidade do widebody já que ele voa sem o peso de passageiros e carga.

Em meio a isso há estações de trabalho para engenheiros, além de alguns assentos de classe econômica. Segundo um funcionário ouvido pelo site, de 10 a 25 pessoas participam dos voos de testes, dependendo do objetivo.

Chamou a nossa atenção uma pequena “caixinha” fixada à lateral da cabine onde se lia “A350“. Sim, a Boeing faz questão de lembrar os visitantes sobre como o 777 é mais largo que o rival europeu.

Um dos pontos mais curiosos do 777X é o sistema de recolhimento das pontas de asas, que se dobram quando o gigante está no solo. Foi uma solução pensada pela Boeing para evitar a necessidade de adaptação dos aeroportos para comportar sua envergadura em voo, de 71,75 m – quando as pontas estão recolhidas, o jato tem apenas 64,82 m de ponta a ponta.

Trem de pouso de altura variável

Ao lado do 777X está o 737 MAX 10, o maior modelo da numerosa família de jatos de um corredor da Boeing. São quase 44 metros de comprimento, ou 13,3 metros a mais que o 737-200 como os que operavam nas finadas Vasp, Varig e Cruzeiro.

O “-10”, como os funcionários da Boeing se referem a ele, é uma resposta ao A321neo, da Airbus, mas a aeronave leva menos passageiros e numa distância menor. Ainda assim tem sido uma alternativa atraente para companhias aéreas que operam o 737 MAX, como a Gol, uma das suas clientes.

A Boeing enviou o segundo protótipo do MAX 10 para o Reino Unido. Nos EUA, além do primeiro avião, há um terceiro sendo concluído, disse a equipe a bordo.

737 MAX 10: 44 metros de comrprimento

Ao contrário da imensidão da cabine vazia do 777-9, o 737 MAX 10 exige cuidado ao circular pelo seu interior, que está equipado com bagageiros, além de equipamentos semelhantes ao irmão maior.

Assim como o 777X, a Boeing teve de usar de criatividade para contornar alguns problemas de se esticar tanto um avião. No caso do 737, o problema envolve o trem de pouso curto.

Como a fabricante quis manter o máximo de pontos em comum com as demais versões e o MAX 10 precisa que a fuselagem fique mais distante do solo para não se chocar durante a decolagem, a Boeing resolveu esticar o trem de pouso.

Mas isso só ocorre na corrida para decolagem e de forma automática, explicou um dos chefes do programa de testes. Não há qualquer interação dos pilotos na elevação da altura em cerca de 45 cm, suficientes para evitar uma raspadinha na traseira. Uma vez no ar, o trem “encolhe” o suficiente para ser recolhido no mesmo compartimento do restante da família.

Embora prometam muito, tanto o 737 MAX 10 quanto o 777-9 ainda deixam seus futuros clientes com o cabelo em pé. Isso porque ambos os programas de certificação estão atrasados e com prognósticos não muitos confiáveis sobre quando finalmente estarão disponíveis para assumir voos comerciais.

Total
7
Shares
1 1 vote
Article Rating
4 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Jorge
Jorge
26 dias atrás

Afinal, a matéria é sobre o 777-9 ou o -X? Confusão do redator? Ou copia e cola de várias fontes?

Oscar Brasileiro
Oscar Brasileiro
24 dias atrás

Realmente é de impressionar essas duas aeronaves.. 👏👏👏👏

Washington Luis
Washington Luis
24 dias atrás

Boa noite!

O 737 Max 10 compete com A321 xrl .
A Airbus além do A321 tem algum outro destaque que poderia nos adianta.

Previous Post

Embraer atualiza configuração do eVTOL da Eve

Next Post

Boeing e Delta fecham acordo para até 130 737 MAX 10

Related Posts
Total
7
Share