Um mês após voo inaugural, turboélice russo Il-114 volta aos céus

Avião é uma reedição do programa Il-114, avião regional da Ilyushin que fracassou nos anos 1990 e agora tem uma nova chance
Ilyushin Il-114-300
Ilyushin Il-114-300

A fabricante russa Ilyushin, uma das diversas marcas do grupo estatal United Aircraft Corporation (UAC), conduziu nessa terça-feira (19) o segundo voo de teste com o novo turboélice Il-114-300, um mês após o voo inaugural da aeronave.

Em comunicado, a UAC informou que o avião decolou do aeroporto de Zhukovsky, em Moscou, operado por três tripulantes, sendo dois pilotos e um engenheiro de testes. Neste segundo ensaio, a aeronave atingiu uma altitude de 2.000 metros (6.600 pés) e 290 km/h. A aeronave retornou ao mesmo ponto de origem após um voo de duas horas e 47 minutos.

“Segundo o comandante da tripulação, os sistemas e equipamentos estavam operando normalmente”, comunicou a UAC, acrescentando que o plano de testes foi “totalmente concluído”. O voo serviu para verificar a estabilidade do voo, sistemas de energia e equipamentos de navegação e comunicação.

“O turboélice Il-114-300 é extremamente requisitada em nosso país: confortável, confiável e capaz de pousar mesmo em aeródromos mal preparados. Pode se tornar a base para o desenvolvimento do transporte inter-regional. Nossa tarefa é colocá-lo no mercado o mais rápido possível”, disse Anatoly Serdyukov, diretor industrial do cluster de aviação Rostec, que controla o grupo UAC.

“Vamos aumentar a intensidade dos voos de forma a garantir o dinamismo e o timing do voo e do programa de testes de certificação. Esperamos que, devido à sua simplicidade e facilidade de manutenção, a aeronave seja muito procurada, inclusive em regiões com clima difícil. A conclusão da certificação e o início das entregas em série estão planejados para 2022 ”, disse Sergei Ganin, designer-chefe do programa Il-114-300.

Ilyushin Il-114-300
O segundo protótipo do Il-114-300 está sendo construído na fábrica da Ilyushin, em Lukhovitsy (UAC)

O projeto Il-114-300 foi lançado oficialmente pela UAC no começo desta década com a meta de realizar o primeiro voo em 2018 e entrar em serviço em 2022, mas o desenvolvimento atrasou e o primeiro avião de teste só ficou pronto meses atrás. A aeronave é uma versão reformulada de um programa iniciado na década de 1990, mas que atraiu pouco interesse no mercado e saiu de linha rapidamente.

De acordo com o fabricante, a versão final do Il-114-300 terá capacidade para receber até 68 passageiros. A aeronave é projetada para voar a velocidade de cruzeiro de 500 km/h a 7.600 metros, com alcance de 1.400 km.

Concorrente para o ATR

A opção por atualizar o Il-114, um turboélice fracassado e que teve apenas 20 unidades construídas, deveria ter ajudado a encurtar o cronograma e baratear seu programa, mas não foi bem assim, como em geral tem ocorrido com outros projetos pós-União Soviética.

O governo russo aposta no Il-114-300 como uma alternativa nacional para a aviação regional do país. Com proposta semelhante ao ATR, a aeronave utiliza apenas componentes russos como o motor Klimov e aviônicos avançados. Uma dos diferenciais em que apostam seus idealizadores é o fato de o turboélice poder operar em aeroportos sem infraestrutura adequada. Ele possui escada retrátil e acesso do solo para inspeções de manutenção, diz a fabricante.

A configuração do bimotor praticamente não mudou em relação ao Il-114 original. Com asas baixas e cauda convencional, o Ilyushin lembra muito outro turboélice regional, o British Aerospace ATP, uma versão maior e mais moderna do conhecido Avro 748 que operou no Brasil.

Ilyushin Il-114
A primeira geração do Il-114 voou em 1990 (Vladimir Galkin)

Não há ainda pedidos oficiais, mas o Kremlin, por meio de uma estatal de leasing, já manifestou interesse em adquirir 50 aeronaves. Outro argumento a favor do modelo é que o Il-114-300 possui quase 40% mais autonomia que o franco-italiano ATR além de ser em tese mais barato de operar.

Se conseguir substituir os velhos turboélices militares An-24 e An-26 que hoje são usados em rotas regionais, o novo avião russo já terá conseguido um grande feito.

A Rússia tem incentivado programas nacionais de desenvolvimento de aeronaves civis como os jatos de passageiros SSJ100 e MC-21. Até mesmo o velho quadrimotor Il-96 deve ganhar nova roupagem enquanto a UAC não consegue avançar com o CR-929, um widebody projetado em parceria com a COMAC, da China.

Veja mais: Força Aérea Brasileira completa 80 anos de existência

Total
26
Shares
Previous Post

Su-57 derrotaria o F-35 facilmente em combate, garante famoso piloto russo

Next Post
Concepção artística do eVTOL da Embraer (Embraer)

Embraer lidera grupo de estudos sobre “táxis voadores” no Reino Unido

Related Posts