Avião do futuro: VoltAero Cassio pode ser um dos primeiros aviões híbridos com certificação comercial (VoltAero)

O lançamento dos primeiros aviões com motorização híbrida-elétrica está mais próximo do que muitos podem imaginar. A startup francesa VoltAero revelou na última semana a configuração de produção do Cassio, aeronave que combina um motor a combustão com outros três geradores elétricos.

Em comunicado, a VoltAero afirma que planeja obter a certificação de tipo para a aeronave a tempo de iniciar as entregas até o final de 2022. O Cassio será enquadrado nas regras CS-23 da agência de aviação civil da União Europeia (EASA), categoria que reúne aviões monomotores e bimotores de uso geral com até 8.618 kg e capacidade para 19 ocupantes.

“O lançamento do design de produção da Cassio representa o passo mais recente em nossa criação realista e altamente pragmática de uma nova família de aeronaves”, disse Jean Botti, CEO e fundador da VoltAero – e ex-diretor de tecnologia da Airbus que liderou a fase inicial do projeto E-Fan X. “Ele se beneficia da experiência incomparável de nossa equipe na aviação elétrica-híbrida, bem como dos testes de voo em larga escala que eliminam o risco à medida que avançamos na fase de produção.”

Segundo o fabricante, o Cassio é destinado a uma série de aplicações comerciais e de aviação geral, incluindo táxi aéreo. A aeronave é projetada para ter alcance de 1.700 km a velocidade de cruzeiro de 370 km/h e poderá decolar e pousar a partir de pistas com menos de 550 metros de comprimento. A VoltAero diz ainda que o avião híbrido poderá operar por até 10 horas por dia.

O sistema de propulsão alternativa da aeronave está sendo testado no protótipo Cassio 1, um avião baseado no Cessna 337 Skymaster que voou pela primeira vez no início de março deste ano.

Cassio 1: primeiro protótipo com motorização híbrida da VoltAero voou no começo de março (VoltAero)

A empresa francesa quer lançar o avião híbrido em três versões: Cassio 330 (para quatro passageiros e com potência combinada de 330 kW), Cassio 480 (seis ocupantes e 480 kW) e o Cassio 600 (para 10 passageiros e 600 kW).

Aviões híbridos

Sistemas de motorização híbrida são uma das tendências para aviação. A combinação de motores a combustão e elétricos é apontada como uma solução de curto a médio prazo enquanto aviões totalmente elétricos não são viáveis por conta da baixa capacidade das baterias atuais.

O primeiro avião híbrido a ganhar os céus foi o protótipo DA36 E-Star desenvolvido pela fabricante austríaca Diamond Aircraft. O voo inaugural da aeronave foi realizado no dia 8 de junho de 2011. O conceito de motorização híbrida também foi testado em projetos da Pipistrel e ScaleWings, que construiu uma réplica do antigo caça P-51 Mustang com propulsão elétrica e convencional.

O projeto mais famoso nesse campo da indústria aeronáutica era o E-Fan X, da Airbus, um protótipo com motorização híbrida baseado no jato comercial BAe 146. O inaugural da aeronave era programado para 2022, mas seu desenvolvimento foi cancelado devido a pandemia de Covid-19.

Veja mais: Airbus quer fabricar “detector de coronavírus” para aviões e aeroportos