Airbus entregou 39 jatos comerciais em agosto

Número ficou abaixo do resultado registrado em julho, mas está próximo do resultado obtido pela fabricante no mesmo período em 2019
Avião mais vendido da Airbus: o A320neo estreou no início de 2016 (Airbus)
Avião mais vendido da Airbus: o A320neo estreou no início de 2016 (Airbus)
No mercado desde 2016, o A320neo é equipado com motores que consomem menos combustível (Airbus)
A Embraer entregou 35 jatos da família A320 em agosto (Airbus)

As entregas de novos aviões da Airbus voltaram a cair em agosto, desacelerando a recuperação do grupo europeu em meio a pandemia da Covid-19. O relatório divulgado pela fabricante nesta terça-feira, 8 de setembro, aponta um total de 39 jatos entregues no mês passado, abaixo dos 49 aparelhos despachados em julho e um pouco aquém das 41 entregas realizados no mesmo período de 2019.

Em contrapartida, a Airbus não registrou nenhum cancelamento de compra em agosto, encerrando a série de desistências mensais registradas desde o inicio deste ano em função da crise no setor aéreo. A empresa ainda recebeu um pedido no mês passado: um jato executivo ACJ320neo para um cliente não identificado.

A fabricante informou que entregou 284 aeronaves até agosto deste ano, o que representa um queda de 43% em relação aos 500 jatos entregues pela fabricante no mesmo período em 2019. A fabricante soma 370 pedidos brutos em 202 ou 303 pedidos líquidos, se considerados os cancelamentos registrados no decorrer deste ano.

Os 39 jatos entregues pela Airbus em agosto foram: 35 aeronaves da família A320, dois A330 e dois A350 – no mês passado, a empresa não entregou nenhum modelo widebody, algo que não acontecia desde que o grupo aeroespacial europeu estreou no mercado em 1974 (com o A300).

A carteira de pedidos da Airbus somou em 7.501 aeronaves até o final de agosto. Esse volume compreende 524 jatos da A220, 6.091 aeronaves da família A320 (incluindo 6.034 família A320neo), 319 modelos A330 (incluindo 285 jatos A330neo), 558 A350 XWBs e nove A380.

Além de sofrer com cancelamentos, as entregas de aeronaves da Airbus estão bem abaixo do normal devido aos pedidos de companhias aéreas para adiarem o recebimento de novos jatos. Com a demanda de passageiros sufocada pela pandemia, transportadoras deixaram em segundo plano a renovação e ampliação de suas frotas.

Veja mais: Boeing descobre problema estrutural no 787 Dreamliner

Total
22
Shares
Previous Post
Embraer T-27 Tucano - Força Aérea Argentina

Argentina adia modernização de seus Embraer Tucano para 2021

Next Post

Jornal diz que VoePass estuda pedir recuperação judicial, mas empresa nega

Related Posts