As diferentes faces do Boeing 747

De telescópio aéreo a super jato executivo, avião comercial mais famoso do mundo já assumiu diferentes formas em seus quase 50 anos de história
Em quase 50 anos de história o 747 já voou muito além da aviação comercial e ainda continua se reinventando
Em quase 50 anos de história o 747 já voou muito além da aviação comercial e ainda continua se reinventando

Telescópio com asas

Meio termo entre um observatório espacial terrestre e o telescópio Hubble, o 747 SOFIA da agência espacial americana NASA é uma das versões mais tecnológicas do quadrimotor da Boeing. O nome da aeronave é uma sigla para uma longa descrição em inglês: Stratospheric Observatory for Infrared Astronomy (Observatório Estratosférico para Astronomia Infravermelha).

O 747 SOFIA é baseado no "Baby Jumbo", o 747 SP (NASA)
O 747 SOFIA é baseado no “Baby Jumbo”, o 747 SP (NASA)

A aeronave foi desenvolvida pela NASA em parceria com a agência espacial da Alemanha (DLR). O (ou A) SOFIA é um 747 SP fabricado em 1977 e usado no passado pelas companhias Pan Am e United Airlines. Aposentado em 1995, o jato ficou armazenado no deserto em Las Vegas e dois anos depois foi repassado a frota da NASA, que iniciou sua complexa modificação.

O 747 SOFIA carrega um telescópio infravermelho com um espelho de 2,5 metros de diâmetro. As observações aéreas são realizadas a 41.000 pés de altitude (12.000 metros), momento em que é aberta uma grande porta no lado esquerdo da fuselagem do avião, expondo o telescópio.

Segundo a explicação da NASA, os principais objetivos científicos do SOFIA são estudar a composição de atmosferas e superfícies planetárias; investigar a estrutura, evolução e composição dos cometas; determinar a física e química do meio interestelar; e explorar a formação de estrelas e outros objetos estelares.

A aeronave é equipada com um telescópio infravermelho (NASA)
A aeronave é equipada com um telescópio infravermelho com 2,5 metros de diâmetro (NASA)

A descoberta mais notável realizada pelo SOFIA foi a detecção de “oxigênio atômico” (átomos de oxigênio) na atmosfera de Marte, em 2016. A aeronave também já colheu dados sobre a atmosfera de Plutão. O 747 SOFIA é o sucessor do Kuiper Airborne Observatory, que era baseado em um antigo cargueiro militar Lockheed C-141 Starlifter.

Total
69
Shares
1 comment

Comments are closed.

Previous Post
O AH-1 Skyraider e sua arma "bioquímica" (Domínio Público)

EUA lançaram “bomba-privada” na Guerra do Vietnã

Next Post
Reconstrução do Boeing 747 da TWA

Boeing 747 da TWA reconstruído após acidente será desmontado

Related Posts