“Boeing 777” sino-russo, CR929 segue em desenvolvimento apesar de sanções

Aeronave que será fabricada em conjunto pela UAC e COMAC passa por revisão do projeto para substituir componentes ocidentais
O widebody CR929, desenvolvido em parceria pela UAC e COMAC (COMAC)

Lançado em 2014 numa parceria entre a Rússia e a China, o widebody CR929 segue em desenvolvimento, porém, está sendo reprojetado para não depender de componentes ocidentais, afirmou Denis Manturov, Ministro do Comércio e Indústria russo na semana passada.

A aeronave que será equivalente ao Airbus A330 e o Boeing 777 passou um período de dificuldades em que chineses e russos pareciam não se entender, mas declarações em ambos os países reforçaram o interesse em levar o projeto adiante.

Em 17 de junho, Manturov afirmou que o “CR929 está em andamento. Mas levando em conta os novos insumos, de acordo com as restrições que existem hoje em termos de cooperação, que foi formada por parceiros chineses com o envolvimento de fabricantes ocidentais, isso agora é impossível, então você terá que gastar tempo reestruturando abordagens usando apenas fabricantes russos e chineses”.

Na China, a imprensa tem dito que o CR929 não só não está atrasado como tem alguns processos adiantados, como o que envolve o projeto das asas em material composto. Segundo relatos, a fuselagem do jato comercial de corredor duplo teve a produção iniciada em setembro enquanto parte das asas começaram a ser produzidas em novembro.

Cockpit do CR929: aeronave vai adotar sistemas de controle fly-by-wire (UAC)
Cockpit do CR929: aeronave vai adotar substituir componentes ocidentais por similares russos e chineses (UAC)

Russos e chineses também têm celebrado os testes com o turbofan PD-35, o maior já desenvolvido na Rússia. Se antes das sanções, GE e Rolls-Royce disputavam a primazia de fornecer os motores do CR929 agora essa tarefa caberá à UEC-Aviadvigatel.

Já empresas como a Honeywell, que forneceria os aviônicos, e Liebherr, responsável pelo trem de pouso, devem ser substituídas por fabricantes como a Hydromash e KRET.

Apesar do otimismo, as dificuldades pelas quais passam os programas MC-21 (UAC) e C919 (COMAC) revelam como o projeto de um jato comercial avançado por custar tempo e dinheiro. O que dirá então um widebody, categoria em que apenas Boeing e Airbus atuam no mercado global atualmente.

Total
36
Shares
0 0 votes
Article Rating
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
João Silva
João Silva
5 dias atrás

E quem vai voar nesses aviões? Quem vai comprar para além dos russos?

Previous Post

LATAM Airlines tem plano de reorganização aprovado pela Justiça dos EUA

Next Post
A Latam tem preços especiais durante a Black Friday para voos domésticos e internacionais (Divulgação)

Alerta de cabine apertada! Airbus projeta A320 com quase 200 assentos

Related Posts
Total
36
Share